terça-feira, 31 de maio de 2016

A vegetação das ilhas flutuantes


"No baixio formado em meio dos rios, estabelecem-se primeiramente, a aninga (Montrichardia arborescens Schott; Aracea) e o aturiá (Drepanocarpus lunatus Meyer, Leguminosa papilionácea), cujas sementes têm a faculdade de poder boiar. Entre estes aparece depois, o mangue (Rhizophora mangle var. racemosa Meyer). Em meio do mangal, nascem depois o açaí e o miriti primeiramente e em seguida, outras plantas que vão expelindo o mangue para as margens da ilha; esta vai, assim, aumentando. Na zona periférica da ilha, ainda sujeita à ação das marés, instalam-se o mururé de flores roxas (Eichhornia azurea) e Eichhornia crassipes, Ponteriaceas), que produzem caules ramificados densamente, misturados aos de uma Gramínea - a canarana (Panicum amplexicaule), de modo a cobrir completamente a superfície da água. Formam essas plantas por esse modo, ilhas flutuantes, de onde se destaca quase sempre pedaços maiores ou menores que são levados rio abaixo a grandes distâncias". Álvaro Astolpho da Silveira. Narrativas e memórias. 1924, v. 1, p. 22-23.
 
 
 
Eichhornia azurea.
Curtis´´s Botanical Magazine. v. 56, t. 2932, 1829.
Desenho de W. J. Hooker.


Nenhum comentário:

Postar um comentário