sábado, 9 de janeiro de 2016

As Bignoniaceas nas margens do Rio Amazonas


"Entre as plantas que cobrem as margens do Rio Amazonas, as que mais o enfeitam, dando-lhe às vezes  aspecto fantástico, são as Bignoniáceas, que trepando pelos madeiros secos, cobrindo a copa das árvores, ou caindo sobre as ribanceiras, formam colunatas, arcos, ogivas, caramanchões de formas caprichosas, tudo esmaltado de flores brancas, amarelas e carmesins que embalsamam a sombra que produzem. Para essa construção esquisita, tecem as espécies com seus inúmeros cipós a entrada das florestas, em que não penetra o homem senão à mão armada, para destruir a rede imensa que se forma. [...]". João Barbosa Rodrigues (1842-1909). Eclogae plantarum novarum. Vellosia: contribuições do Museu Botânico do Amazonas, v. 1: Botânica, 1891, p. 47.
 
 
 
Memora schomburgkii (Bignoniaceae).
Margaret Mee. In search of flowers of the Amazon Forests. 1989.


Nenhum comentário:

Postar um comentário