quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Viajantes: Anhuma.


"[...]. Ouvimos e vimos, nas margens, as lindas araras, e encontramos, pela primeira vez, uma ave notabilíssima, a "aniuma" ou anhuma..., que não é rara nessa altura do rio. Essa linda ave, do tamanho de um ganso grande, mas de pernas e pescoços maiores, tem na testa um apêndice longo e delgado, semelhante a um chifre, de quatro a cinco polegadas de comprimento, e, ao nível da articulação dianteira de cada asa, dois fortes esporões pontiagudos. É arisca, mas logo se trai pela voz forte, que, embora muito sonora e potente, tem modulações algo semelhantes à voz do nosso pombo selvagem, sendo, porém, acompanhadas de algumas estranhas notas guturais; esse grito ressoava longe pela mata e trouxe novo entretenimento para o nosso senso venatório. Muitas delas, amedrontadas pela batida dos remos, voaram para a floresta; voando pareciam-se com urubu. [...]". Maximilian zu Wied-Neuwied. (1782-1867). Viagem ao Brasil. 1958, p. 244.
 
 
Anhuma (Anhuma cornuta)
Ilustração de Antônio Martins. Brasil 500 pássaros. 2000.
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário