terça-feira, 7 de junho de 2016

Um verdadeiro orquidário natural


"[...]. Num pequeno trecho do campo com arbustos esparsos, a cerca de uma milha da aldeia, encontrei uma grande abundância de orquídeas. Nunca havia visto antes tantas orquídeas reunidas num único local. Aquilo era um verdadeiro orquidário natural. Depois de examina-las por cerca de uma hora, verifiquei a ocorrência de cerca de 30 espécies diferentes. Algumas não passavam de plantas diminutas, pouco maiores do que musgos. havia outras, porém, que eram enormes espécies semiterrestres, formando touceiras de 8 ou 10 pés de altura. Poucas estavam floridas, e a maior parte delas possuía florzinhas muito pequenas, conquanto bonitas. Mas num determinado dia eu fiquei agradavelmente surpreendido ao deparar subitamente com uma flor magnífica. Brotando do tronco apodrecido de uma árvore, á altura dos meus olhos, lá estava um verdadeiro ramalhete formado por 5 ou 6 dessas flores. Elas eram quase redondas, tinham 3 polegadas de diâmetro e sua coloração era amarela, passando de uma tonalidade pálida, que lembrava a da palha, à mais dourada e escura que se divisava na base do labelo. Como sua esquisita beleza sobressaía naquele local selvagem, arenoso e estéril!
Daí a um ou dois dias, descobri outra bonita espécie, cujas flores, diferentemente do que ocorre com as da maioria das outras orquídeas, tinham vida muito curta, desabrochando pela manhã e durando apenas um único dia. [...]". Alfred Russel Wallace (1823-1913). Viagens pelos rios Amazonas e Negro. 1979, p. 193.
 
 
Orquídea. Oncidium iridifolium Lindl.
Lindenia-iconographie des orchidées, v. 4, 1888 


Nenhum comentário:

Postar um comentário