terça-feira, 21 de junho de 2016

Um amante das palmeiras


"[...]. As laranjeiras estão bebendo sol; as folhas das palmeiras ondulam e acenam e torcem a luz em seus dedos delicados e fazem padrões caleidoscópicos para seu próprio adorno. Não, não! O dia também está cheio de gente - a minha gente - corpos e corações reais, construindo essa grande vida que vibra, com sua maravilhosa umidade, sua infinita variedade. As pessoas falam das palmeiras como se fossem todas uma coisa só. Há trinta espécies de palmeiras nos arredores de Taperinha, desde a marajá-i de quatro pés de altura, à dominadora inajá, e cada espécie tem sua própria soberba majestade, ou graça delicada. Agora sou um amante das palmeiras. Se alguém mais insistir que elas são como "espanadores atingidos pelo raio" desejo que saboreie sua opinião. [...]".  Herbert Smith (1851-1919). In: PAPAVERO, N. ; OVERAL, W. L. (Orgs.). Taperinha: histórico das pesquisas de história natural realizadas em uma fazenda da região de Santarém, no Pará, nos séculos XIX e XX. 2011, p. 149-150.
 
 
Oenocarpus minor Mart. Bactris acanthocarpoides Barb. Rodr.
J. Barbosa Rodrigues. Sertum palmarum brasiliensium. 1989.
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário