domingo, 5 de junho de 2016

Formas belas de vegetação


"Em várias ocasiões fiz excursões muito agradáveis pelas vizinhanças. Visitei, um dia, o Jardim Botânico onde cresciam plantas muito conhecidas pela grande utilidade das suas propriedades. As folhas da cânfora, da pimenta, da canela e do cravo desprendiam um aroma muito delicioso; e a fruta-pão, a jaca, a manga disputavam entre si a primazia da magnificência da folhagem. A paisagem dos arredores da Bahia quase que se caracteriza por estas duas últimas árvores. Antes de as ter visto, não fazia nenhuma ideia de que houvesse árvores capazes de projetar no solo uma sombra tão preta. As duas estão para com a vegetação sempre verde destes climas na mesma razão em que na Inglaterra, os loureiros e os azevinhos estão para com o verde mais pálido das árvores decíduas. Pode-se observar que, nos trópicos, as casas são sempre rodeadas das formas mais belas de vegetação, por isso que muita  delas são ao mesmo tempo as mais úteis ao homem. Quem poderia duvidar de que essas virtudes se achassem reunidas na bananeira, no coqueiro, nas muitas variedades de palmeiras, na laranjeira e na árvore da fruta-pão?". Charles Darwin (1809-1882). Viagem de um naturalista ao redor do mundo. 1860, p. 42.
 
 
Canela (Cinnamomum zeylanicum)
Carolyn Fry. Os caçadores de plantas 2014.
Acervo particular
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário