sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Viajantes: Miriti


 
"As margens do baixo Amazonas apresentam imagens encantadoras de vegetação, especialmente no estreito canal de Taji-purú ou Tajá-purú, que separa a grande ilha Marajó da terra firme. É através dele que se chega propriamente ao Amazonas. A bela palmeira buriti, que eu já tinha conhecido no planalto de Mato Grosso, é chamada aqui miriti (Mauritia flexuosa) e se apresenta em grandes agrupamentos. Por todas as partes aparecem seus troncos brilhantes e retos, que atingem até 30 m de altura: são lisos, de cor cinzenta, destacando-se na escuridão misteriosa da selva. Os grandes leques da copa estremecem à leve brisa. [...]". Theodor Koch-Grünberg (1872-1924). Dois anos entre os indígenas: viagens no noroeste do Brasil. 2005, p. 25.
 
 
 
 
 
 
Palmeiras miriti (Mauritia flexuosa).
 Ilustração de Taunay. Expedição Langsdorff ao Brasil (1821-1829).
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário