segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Castanha-sapucaia


"Encontramos, nessas florestas sombrias, uma grande quantidade de árvores majestosas. O ipê achava-se carregado de grandes flores amarelo-vivo, e uma outra bignônia, de grandes flores brancas, crescia nos brejos. Bem acima das copas dos gigantes da mata, ergue-se a imponente sapucaia [...]; possui folhas pequenas e enormes frutos pendentes, em forma de pote, que abrem uma tampa perfeita e deixam cair as grandes sementes comestíveis. Os macacos, e sobretudo as grandes araras vermelhas e azuis (Psittacus macao e ararauna, Linn.) apreciam-nas muito. É bastante difícil, sem as asas dos papagaios ou a agilidade para trepar dos macacos, colher os frutos dessa árvore, tão altos ficam; [...]". Maximilian zu Wied-Neuwied (1782-1867). Viagem ao Brasil. 2a. ed. v. 1, p. 83.
 
 
 
 
 
 
Castanha-sapucaia. Albert Eckout, 1640.
Brasilien Entdeckung und Selbstentdeckung. 1992.



Nenhum comentário:

Postar um comentário