sábado, 17 de agosto de 2013

Araras




"[...]. Vimos aí, pela primeira vez em estado selvagem, as magníficas araras [...], um dos maiores ornamentos das florestas brasileiras; ouvimo-lhes os gritos altos e estridentes e as admiramos a esvoaçar esplêndidas, por sobre as cimas das altaneiras sapucaias. Podíamos reconhecê-las à distância pelos rabos compridos, e a brilhante plumagem vermelha refulgia deslumbrante sob os raios do sol. Periquitos, maracanãs, maitacas, tiribas, curicas, camutangas, jandaias e outras espécies de papagaios voavam aos bandos, em algazarra, de uma margem a outra, enquanto o grande e majestoso pato almiscarado (Anas moschata, Linn.), pousava nos ramos de uma cecrópia, na orla da mata, à beira do rio [...]." Maximilian zu Wied-Neuwied (1782-1867). Viagem ao Brasil. 1958, p. 157.
 
 
 
 
 
 
Araras.
Viagem ao Brasil. Maximilian zu Wied-Neuwied.
  Brasilien Entdeckung und Selbstentdeckung. 1992.

Nenhum comentário:

Postar um comentário