quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Uma abertura na floresta como uma moldura de folhas


"Parei por um momento para contemplar uma abertura na floresta como uma moldura de folhas, dando para as águas iluminadas do rio lá embaixo no vale sinuoso, o clarão brilhante em forte contraste com a profunda sombra do interior da floresta, que ressoava com o zunido constante dos insetos, tais como as notas agudas de mosquitos azul-metálicos, o zumbido de um besouro tonto trombando cegamente em uma árvore, e o assovio monótono das muitas cigarras, todos se misturando melodiosamente ao borbulhar distante do rio  quando passa pelos galhos pendentes das árvores e quando um martim-pescador azul mergulha como uma joia faiscante dentro d´água, de um galho avançado e murcho, coberto de bromélias carmesins, trepadeiras, orquídeas, musgos  cipós pendentes, fazendo balançar na brisa suave um ninho de japiim [...].". James W. Wells [1841-?]. Explorando e viajando três mil milhas através do Brasil: do Rio de Janeiro ao Maranhão. 1995. v.2, p. 81.
 
 
Rudolfiella aurantiaca.
 Ilustração de Margaret Mee (1909-1988).
Flores da floresta amazônica. 2010.
 

 
 
 



Nenhum comentário:

Postar um comentário