quinta-feira, 25 de julho de 2013

Viajantes: Preguiça de três dedos


"Ao vadiar uma manhã numa das clareiras, encontramos uma preguiça rastejando pelo chão; circunstância rara, pois essas criaturas dificilmente deixam os ramos das árvores da floresta. Não é um animal bonito; uma massa de pelos cinzentos e rudes; garras agudas e aduncas e uma carinha redonda, algo como a de um macaco [...]. A preguiça é um vegetariano total. Pendura-se a um galho por meio de seus ganchos podálicos e nessa posição invertida vive, ou existe, todos seus dias numa calma perfeita, entre o comer e o dormir. Procura outro galho quando tem que encontrar novo alimento; mas a locomoção de uma lesma, ou de uma tartaruga, é rápida, em comparação. Esta que encontro no solo está inteiramente fora do lugar. Espicha-se para cá e para lá, estende uma perna para frente, muito devagar, agarra um galho e avança penosamente por ele acima, [...]".  Herbert Smith (1851-1919). In: PAPAVERO, N. ; OVERAL, W. L. Taperinha: histórico das pesquisas de história natural realizadas em uma fazenda da região de Santarém, no Pará, nos séculos XIX e XX. 2011, p. 172.
 
 
Viagem Filosófica pelas Capitanias do Grão-Pará, Rio Negro, Mato Grosso e Cuiabá (1783-1793). Alexandre Rodrigues Ferreira (1756-1815).
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PREGUIÇA-DE-TRÊS-DEDOS - Mamífero (Bradypus tridactylus) da família dos bradipodídeos, mais conhecido como bicho-preguiça. Conhecido pelos indígenas como Aí, devido a curiosa vocalização que esse animal produz ao articular um "a" fechado e logo em seguida um "i" curto e aspirado, segundo Theodoro Sampaio em O Tupi na geografia nacional. 2. ed. 1914, p. 199. Conhecido também como: aí-mirim, bicho-preguiça, cabeluda, preguiça-de-bentinho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário