quarta-feira, 23 de março de 2016

A orquídea Sobralia dichotoma


"Quando alcançamos a borda superior da vegetação, num trecho em que a inclinação da rocha é de pelo menos 45 graus, verificamos que a planta que, dada a sua resistência à força da torrente, ajuda a sustentar todas as que ficam abaixo dela é uma Bromeliacea cujas folhas lembram as do abacaxi, embora sejam menos rígidas e cujo caule morto tem 6 pés de altura [1,83m]. Abaixo dela se vêm extensas manchas de uma Orquidácea, a Sobralia dichotoma, cujos caules tufosos, dísticos e folhosos atingem de 5 a 6 pés de altura [1,52-1,83m] e trazem no topo umas poucas flores grandes, belas e aromáticas, quase inteiramente brancas, exceto quanto ao labelo, que é amarelo listrado de encarnado, por dentro. E torno das raízes dessa orquídea viam-se moitas de um musgo (Calynoeres) que ostentava frutos, aparentemente da mesma espécie frequente na floresta baixa que ocorre nos trechos de solo arenoso existente ao longo do alto rio Negro". Richard Spruce (1817-1893). Notas de um botânico na Amazônia. 2006, p. 256-257.
 
 
 
Orquídea. Sobralia dichotoma.
H.G. Reichenbach. Xenia oechidacea, v. 2, 1874


Nenhum comentário:

Postar um comentário