domingo, 11 de setembro de 2016

Esse complexo mundo vegetal...


".[...]. Contudo, não serão apenas os cipós que concorrerão para o fausto da floresta amazônica. este dependerá também do prodigioso número de epífitas que abarcam troncos, cravejam ramos e afestoam galhos. Algumas, como o apuizeiro, revelam-se implacáveis algozes das suas vítimas; outras, verdadeiramente inofensivas, fazem-se mesmo magnânimas, recompensando com uma floração esplêndida o bom gasalhado que lhe deram as companheiras, o que acontece com a linda cebola-brava e com quase todas as orquídeas. Mas ainda a legião das Aráceas e Bromeliáceas, aquelas servindo-se do raizame aéreo para mandar amarras para todos os lados estas abrindo rosaças de verdes crus e vermelhos vivos na forquilha dos troncos vetustos, que também disfarçam as suas rugas sob a policromia de fetos, fungos, algas, musgos e líquens.
E é tal a profusão desses hóspedes que só  num exemplar de grande árvore já se contam oitocentas espécies de outras plantas. Schomburgk também colecionou quatorze orquídeas diferentes povoando um único tronco.
Todo esse complexo mundo vegetal, toda essa falange de batalhadores aparentemente imóveis, vive numa perpétua luta, num continuado esforço, buscando escapulir à semi-obscuridade do sobosque para alcançar um lugarzinho ao sol, uma clareira de céu aberto, lá, bem no alto, já no zimbório verde que os triunfadores de maior hausto vão formar com as suas copas.". Gastão Cruls (1888-1959). Hileia amazônica. 2. ed. 1955, p 15-16.
 
 
 
 Cattleya virginalis Linden & André .
Lindenia iconographie de orchidées. v. 3, 1887. BHL.


Nenhum comentário:

Postar um comentário