sábado, 13 de junho de 2015

Os delírios de asas palpitantes


"Onde quer que haja a doçura misteriosa das águas novas, pelas margens de todos os lagos, nos tufos de capim das ilhotas, pelos mateiros dos baixos, na atmosfera lavada de luz, movimentam-se delírios de asas palpitantes, policromicas de plumas vivazes, abrindo desenhos animados na porcelana do céu, no pano das verduras, no lençol das águas. Recruzam-se, em todas as direções, os casais de patos bravos; vermelhas jaçanãs, volitando pelos aguapés, soltam risadas cromáticas e as ferrugíneas curicacas misturam seu matraquear metálico aos lamentos dos carões, pelo brejo dos aningais."Alfredo Ladislau. Terra imatura. 2. ed. 1925, p. 38.
 
 
 
Cigana-Pavão-do-Pará-Carão-Piaçoca-(Jaçanã)-Saracura-Açanã-Ipequi
Álbum de Aves Amazônicas 1900-1906.
Ilustração de Ernst Lohse (1873-1930)


Nenhum comentário:

Postar um comentário