sábado, 20 de junho de 2015

Caprichosas orquídeas


"A grande classe das epífitas, entretanto, disseminada em múltiplas variedades de caprichosas orquídeas, difere, por sua orgulhosa vida autônoma, dessas esfaimadas physalias vegetais. São plantas boas, que não sacrificam os recursos, já armazenados, da economia alheia, nem mandam raízes à terra, para abrir competência com os vizinhos. Pedem, apenas, um encosto para sua reduzida carga de bolbos, um pouco de umidade e a frouxa luz, coada no verde filtro dos ramos. Apanham do ar os princípios fecundantes que a terra evapora, e desses fluídos vitais, já purificados, absorvem os materiais impalpáveis que lhes formam a requintada estesia das flores, nas quais a natureza imprime criadora, quer na forma e colorido, quer nas sutilezas com que destila os embriagadores e finíssimos perfumes.
Então, na penumbra veludosa dos mais taciturnos recantos florestais, as Catleyas abrem doloridas estrelas roxas e as "albae brasiliensis" desenastram o cetim virginal das delicadas pétalas, impregnadas de uma adocicada essência, tão suave e estonteante, que desafia as mais teimosas combinações da química industrial. [...]". Alfredo Ladislau. Terra imatura. 2. ed. 1925, p. 50-51.
 
 
 
Cattleya labiata var. autumnalis.
 Lindenia- iconographie des Orchidées. , v. 3, 1887.
www.biodiversitylibrary.org.


Nenhum comentário:

Postar um comentário