quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Viajantes: Soberba vegetação aquática!


Nas margens dos lagos, nos lugares menos varridos pelo sulcar das canoas, amontoa-se, formando esplêndida faixa de verdura, uma soberba vegetação aquática - as verdes e risonhas gramíneas, enaltecidas algumas de lindas flores, os pitorescos aruns, as gigantescas ninfeias, as airodeas enormes. De trecho em trecho esta orla é truncada pelos tijucupauas, ou praias negras de tijuco, frequentadas por legiões de borboletas amarelas e brancas que, a distância e pousadas, parecem flores nascidas na lama sólida. Agarrados à margem, os compactos matupás de canarana, por sobre os quais esvoaçavam leves, alegres e chilreantes passarinhos microscópicos, vergando as delgadíssimas ramas  do capim, fazem-lhe uma continuação que ilude o peregrino alheio a esta terra; o úmido mureru, de grande folhas grossas, arredondadas, côncavas, forma chãos de um verde carregado, onde sobressaem as suas flores arroxadas com que o boto compõe os ramalhetes destinados às suas amadas". José Veríssimo (1857-1916). Cenas da vida amazônica. Edição organizada por Antônio Dimas. 2011, p. 38-39.
 
 
Arum maculatum..
Flora Londinensis (1777-1787). Publicado por William Curtis.
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário