terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Viajantes: Borboleta na floresta.


"[...]. Mil coisas nessas matas atraem a vista e nos distraem daquilo que procuramos. Quantas vezes paramos para admirar um tronco por si só constituindo um mundo vegetal! A cada modo, a cada encontro dos ramos, as parasitas se agarram; as lianas pendem dos galhos altos até o chão; os cipós enleiam o tronco, tão estreitamente unidos uns aos outros que se diriam as caneleiras duma coluna. E quantas vezes ficamos imóveis, à escuta, para distinguir o sussurro do vento nas folhas das palmeiras, a uns cinquenta pés acima de nossas cabeças; não é ruído lento e surdo de vento nos galhos dos pinheiros das nossas florestas; mais parece o som claro duma água corrente. Através da estreita trilha, uma enorme borboleta, dessa cor azul vivo que se admira nas coleções de insetos do Brasil, flutua serenamente no ar diante de nós; ei-la pousada quase ao nosso alcance, dobrando os seus esplendores azulados e parecendo, calma e imóvel, uma simples flor castanho-escuro salpicada de branco! Luís Agassiz (1807-1873) & Elisabeth Cary Agassiz (1822-1907). Viagem ao Brasil 1865-1866. 2000, p. 302-303.
 

 
 
Trepadeiras com borboletas
Ilustração de Marianne North (1830-1890).
www.kew.org
 

Um comentário: