quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Viajantes: Barra do Rio Negro

 
"Acima de Itacoatiara cai a margem esquerda em altas barrancas de barro e de areia, e depois, em rochedos abruptos. Passamos a boca do enorme rio Madeira, que fica escondido atrás das ilhas, e ao meio dia primeiro de junho entramos no rio Negro, cujas águas pretas, bruscamente se destacam das águas pardo-amarelentas do Amazonas, e longe, rio abaixo, indicam a proximidade do poderoso tributário, ostentando manchas escuras. Paramos lançando âncora, diante da antiga "Barra do Rio Negro", que hoje é Manaus". Theodor Koch-Grünberg (1872-1924). Dois anos entre os indígenas - viagens no noroeste do Brasil (1903/1905), 2005, p. 27.
 
 
 
Manaus, 1865.
 Jacques Burkhart,Aquarela


Nenhum comentário:

Postar um comentário