quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Uma paisagem deslumbrante


"A janela aberta do salão formava uma moldura para um quadro da cena lá de fora. Lá, no espelho do rio, flutuava a vasta extensão de folhas verde-claras e as delicadas flores cor-de-malva das massas de nenúfares, aqui e ali pontilhadas com as jaçanãs vermelho-castanho, que gritavam como gatinhos e cujos corpos leves e patas largas lhes permitiam correr com facilidade sobre a superfície da vegetação flutuante em busca do alimento. Cortando o centro das massas revolventes de plantas, a forte correnteza tinha formado um canal de água aberta, que brilha à luz do sol como um fio de ouro brunido. Longas linhas de mato espesso indicavam as margens do rio ao fundo, muitas carnaúbas, solitárias ou em grupos, erguem seus caules roliços, frequentemente cobertos de bromélias, samambaias e trepadeiras parasitas. Suas folhas em leque sussurram e cintilam com muitos brilhos, faiscando quando soprados pela brisa. Mais ao longe, uma cadeia de montanhas forma o último plano; seus sulcos, seus cumes gramados e as encostas cobertas de matos e pedras estão minuciosamente delineados no clarão forte do sol da manhã, o céu azul claro e suas ofuscantes nuvens brancas". James W. Wells (1841-?). Explorando e viajando três mil milhas através do Brasil: do Rio e Janeiro ao Maranhão. 1995. v. 2, p. 57.



Bromelia. Aechmes angustifolia.
E. Poeppig. Nova genera ac species plantarum. v. 2, t. 159. 1838.
www.plantillustration.org.

Nenhum comentário:

Postar um comentário