segunda-feira, 11 de julho de 2016

A Mamorana


"Mostraram-me hoje uma mamorana com flores e frutos. Tive oportunidade de referir-me a essa árvore na Amazônia Misteriosa e lá está, a certa altura do primeiro capítulo: "Durante o percurso, o Manoel avistou uma mamorana, reconhecida por suas flores rajadas de vermelho e branco, e quis aproveitar para colher um pouco de estopa".
Tudo isso é verdade. A árvore dá mesmo boa estopa e tem as flores coloridas daquela maneira. Todavia, por causa dessas mesmas flores é que eu jamais a identificaria. Nunca pude imaginar tão grandes e também aos frutos que vultosos, piriformes, revestidos de felpa castanha, dão a árvore um caráter pugilístico, pondo à ponta de cada um de seus ramos enormes manoplas protegidas para o jogo do boxe. Gastão Cruls (1888-1959). A Amazônia que eu vi. 1930, p. 188.
 
 
Pachira aquatica. Aublet - . Bombacaceae.
Annales de flore et de pomone ou journal des jardins et des champs, ser. 3, vol. 1 t. 9 (1817)

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário