sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Uma extraordinária planta de pântano


"Na manhã seguinte, tão logo a última chama da fogueira foi apagada, começamos nossa escalada para a Serra do Curicuriari - a mesma que o botânico Richard Spruce explorou em 1852. Aproximadamente cem anos se passaram desde sua jornada, mas é quase certo que a região não tenha sofrido mudanças desde então, já que um século é apenas um momento na vida de uma montanha tão antiga.
Em nossa próxima viagem pelo rio, chegaríamos até Taracuá (formiga gigante) subindo pelo rio Uaupés, onde teríamos que pegar um barco a motor até Mercés e um avião anfíbio até Taracuá. Eu estava tão impaciente para explorar a região que em minha primeira excursão até um campo próximo encontrei diversas plantas interessantes - uma linda trombeta chinesa branca e amarela, Distictella magnoliifolia. Essa planta foi vista pela primeira vez pelo naturalista Alexander von Humboldt em sua viagem ao Orinoco, em 1800, e somente foi vista novamente na mesma região por Koch, em 1905. Encontrei clúsias e uma variedade de orquídeas, além de uma extraordinária planta de pântano, Rapatea paludosa. Margaret Mee (1909-1988). Flores da floresta amazônica. 2. ed. 2010, p. 38.
 
 
 
Rapatea paludosa
Ilustração de Margaret Mee (1909-1988)
Flores da floresta amazônica. 2010



Nenhum comentário:

Postar um comentário