domingo, 27 de dezembro de 2015

Muitas espécies desconhecidas no meu caminho


"[...]. Muitas espécies, ouso aventurar, são desconhecidas. As mirtáceas e leguminosas são as mais numerosas; a aristocrácia é representada pelos gêneros Hymenaea, Bauhinia, pelas figueiras gigantescas, Lauráceas altaneiras e colossais, bignônias, que fornecem as madeiras mais fortes. As mais belas são as acácias, as mimosas, as lasiandras e as esbeltas palmeiras, que se curvam no alto, em sedosas folhas. O proletariado é representado por outras, cássias carregada de tufos de flores, helicônias, palmeiras baixas, begônias, agaves, muitas espécies de cactáceas, arundináceas e vários bambus, muitas vezes com 13 metros de altura, desarmados ou terrivelmente espinhosos. Estes formam tufos impenetráveis, que só o peso de um elefante conseguirá romper; o caçador tem de abrir, penosamente, caminho com o facão, e sente-se tão seguro como se estivesse alojado em uma jaula vegetal. [...]". Richard Burton (1821-1890). Viagem do Rio de Janeiro a Morro Velho. 2001, p. 358.
 
 
 
Begonia sp.
L´illustration horticole. 1888.


Nenhum comentário:

Postar um comentário