quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Um martim-pescador verde-bronze


"[...]. O terreno dos campos, irregularmente pontilhado de árvores mirradas, estende-se frequentemente até a borda dos diversos riachos, onde a água é maravilhosamente límpida e transparente, e quase sempre corre sobre leitos de enormes penedos, entre margens de rocha, gotejantes de umidade e coberta de samambaias e musgos, suas margens são debruadas com árvores altas, cujas copas se encontram formando longas alamedas de delicada verdura, por entre as quais a luz do sol cintila em raios brilhantes; nos galhos, onde frequentemente um martim-pescador verde-bronze está pousado à espera de sua presa na água sombria lá embaixo, balançam os ninhos do japiim nas extremidades de longas trepadeiras, entre bromélias de cor viva e outras parasitas". James W. Wells [1841-?]. Explorando e viajando três mil milhas através do Brasil: do Rio de Janeiro ao Maranhão. 1995, p. 246.
 
 
 
Carará -Mergulhões - Gaivotas - Trinta-réis - Arirambas.
Álbum de aves amazônicas. Desenho de Ernst Lohse (1873-1930). (Detalhe)


Nenhum comentário:

Postar um comentário