domingo, 14 de dezembro de 2014

Literatura: A Palmeira



A Palmeira
 
A palmeira Jauari,
mais altaneira que alta,
a solidão prefere
da várzea do Jarauá.
 
A quem a longa leveza
do seu talhe comove,
a palmeira moça estende
a graça da elegância
que me estremece inteiro
o gosto de estar vivo.
 
Do vento ela entende
as sílabas e os silêncios:
sílabas do canto
que as palmas aprendem,
silêncios do espanto
de saber  que segregam
sua futura fúria.
 
Nos dedos longos do ar
me chega o seu cheiro
de palmeira moça.
Para tê-la de perto
(me leva uma estrela)
atravesso o fulgor
do pleno meio-dia
sobre o verde da infância.
 
Toda a floresta vibra.
Na sombra exígua
da moça palmeira
me deito inconsútil
serena alegria.
 
Thiago de Mello
In: MELLO, Thiago. Mamirauá. Tefé (AM): Sociedade Civil Mamirauá, 2002.
 
 
 
 Astrocaryum jauari
J. Barbosa Rodrigues (1842-1909) . Sertum palmarum brasiliensium :ou Relation des palmiers nouveax du Brésil, découverts, décrits et dessinés d'après nature /par J. Barbosa Rodrigues. 1903



Nenhum comentário:

Postar um comentário