quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Viajantes: Cajueiro



"Nas porções de matas, a atmosfera estava carregada do delicado perfume das flores do cajueiro (Anacardium occidentale) que aí existe em profusão. Era a primeira vez que via esta árvore à distância da costa, mas depois vi que não era incomum no interior. O fruto, porém, ou antes, o grosso pedúnculo que forma a parte comestível, é pequeno, pouco maior que uma cereja. [...]". George Gardner (1812-1849). Viagem ao interior do Brasil. 1975, p. 166.
 
 
 
 
 
Caju.
Ilustração de J. Th.  Descourtilz (1796-1855)


Nenhum comentário:

Postar um comentário