sábado, 26 de novembro de 2016

Sapopemas


"Pouco a pouco cai um aguaceiro; paramos sob uma grande árvore e aproveitamos o tempo para almoçar. Poder-se-ia acampar muito confortavelmente entre essas raízes; os índios chamam-nas sapopemas, grandes contrafortes achatados, que se expandem de todos os lados por duas ou três jardas e que sobem contra o tronco até o dobro dessa distância. Não sei de que espécie é; uma samaúma muito provavelmente, mas muitas das árvores da floresta têm sapopemas, grandes ou pequenas; suportes que impedem a queda da árvore. Ás vezes, os índios cortam porções de sapopemas e usam-nas como pranchas grossas; frequentemente constroem cabanas encostadas ao tronco dessas árvores, e usam as sapopemas como paredes". Herbert Smith (1851-1919). In: PAPAVERO, N. ; OVERAL, W. L. (Orgs.). Taperinha: histórico das pesquisas de história natural realizadas em uma fazenda da região de Santarém, no Pará, nos séculos XIX e XX. 2011, p. 162.
 
 
 
 
Árvore com sapopemas
Pintura de Johann Moritz Rugendas (1802-1858)

Nenhum comentário:

Postar um comentário