segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Árvores-de-cuia


"As flores eram raras e esparsas. Tudo o que vimos foram algumas orquídeas, umas poucas ervas florescentes e um ou outro arbusto ostentando flores alvas ou verdes, dispersos à beira do caminho. Jaziam no solo diversos frutos caídos semidecompostos, entre os quais umas vagens curiosamente retorcidas, parecendo ervilhas de uma jarda de comprimento, umas favas enormes, nozes de diversos tamanhos e formatos e enormes cabaças das árvores-de-cuia, cujo aspecto lembra o de potes com tampas. O tapete herbáceo consistia principalmente de fetos. Scitamineae, algumas gramíneas e umas poucas plantas baixas e rasteiras. A maior parte da superfície do solo era recoberta por folhas mortas e troncos apodrecidos". Alfred Russel Wallace (1823-1913). Viagens pelos rios Amazonas e Negro. 1979, p. 30.
 
 
 
Cuieira (Crescentia cujete)
www.mast.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário