quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Viajantes: Orquídeas e suas flores maravilhosas.


"[...]. Entre as flores, a maravilha era completa. Umas augustas, solitárias, esplendendo únicas sobre as hastes longas. Outras, às dezenas ou centenas, vergando os pendões em que se agrupavam. Esta lembrando uma borboleta policrômica. Esta outra, um pássaro de asas ao pairo. Ainda outra, um perfeito escaravelho, ou um casco romano, ou uma sandália grega. E havia também as que simulavam vespas, abelhas, falenas, aracnídeos. E até seres fantásticos, criaturas irreais. Medusas de cabeleira colubrina. Gnomos liliputianos. Umas dir-se-iam esculpidas no mais puro marfim, ou, lacas nos seus tons de mel, modeladas em cera. Outras tinham o brilho das lacas orientais ou o colorido das majólicas italianas. Umas seriam feitas de veludo ou seda, com predominância de uma só tonalidade, enquanto outras seriam recortadas num brocado em que entravam os mais diversos matizes. Pétalas franjadas, onduladas, pubescentes. Pétalas estriadas, pintalgadas, maculadas, venuladas. Labelos carnosos e provocantes que se ofereciam como lábios de mulher.[...]. Flores desde o lilás mais suave ao roxo mais saturado do róseo mais leve ao vermelho mais vivo. Do branco mais puro ao amarelo mais berrante. E azuis, e verdes, e castanhos, e salmonadas." Gastão Cruls (1888-1959). Hiléia amazônica. 2. ed. 1955, p. 62-63.
 
 

Miltonia spectabilis moreliana hort.
Lindenia iconographie de orchidées. v. 3, 1887.

Nenhum comentário:

Postar um comentário