domingo, 3 de agosto de 2014

Viajantes: O mamoeiro e o agradável perfume de suas flores!


"[...]. Ladeando os trilhos, estão os mamoeiros (Carica papaya), quase incontáveis, projetando-se para o céu, e dá para andar trechos inteiros sentindo o característico cheiro e agradável que suas flores exalam. Esse cheiro tem em mim um efeito curioso. Vocês ainda se lembram de quando, mexendo nas coisas da mamãe, encontrávamos alguns frascos vazios de perfume? Pois bem. Um deles era Est-bouquet e o outro tinha exatamente o mesmo perfume do mamão trazido pelo vento. Por isso, quando espirro no calor sufocante do meio dia tropical, que lança um véu sobre as coisas, tornando os seus contornos cintilantes e fazendo-as parecer irreais, as memórias mais remotas da minha infância se reacendem, e parece que voltam à tona todas as coisas possíveis que eu, de lá para cá, há muito havia esquecido. Por exemplo, o tanto que eu, já naquela época de criancinha, amava a natureza, embora sem o saber." Emília Snethlage (1868-1929). In: SANJAD, Nelson et al. Emília Snethlage (1868-1929): um inédito relato de viagem ao rio Tocantins e o obituário de Emil-Heinrich Snethlage. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 8, n.1, p. 207-208, 2013.
 
 
 
Mamão (Carica papaya)
Maria Sybilla Merian (1647-1717).
 Insects of Surinam.


Nenhum comentário:

Postar um comentário