terça-feira, 26 de agosto de 2014

Viajantes: Alma-de-gato (Piaya cayana), a formosa rainha do silêncio!


"Esta não é cercada de tanta simpatia como o Sabiá; porém, não deixa de ser uma formosa rainha do silêncio, um tanto enigmática e credora, da maior admiração por parte de quantos se dedicam ao estudo desses seres empolgantes, que povoam as solidões dos pitorescos bosques. [...].
Completamente diferente de suas companheiras, gostando muito de viver a sós, longe da matinada dos outros pássaros, por entre os arbustos existentes nos pomares e nas restingas de capoeirinhas ela passa, assim, grande parte da vida.
Vemo-la, quase sempre muito escondida por entre as folhas, nunca se expondo inteiramente aos olhares dos curiosos por isso, um exame detido na sua linda plumagem é coisa difícil.
Enfeitam o lindo corpo penas multicores, destacando-se, de todas, a cor pronunciada da ferrugem.
O mais interessante que se nota nesta ave é a agilidade com que passa pela folhagem: ora aqui, ora acolá, mais distante, dificilmente podendo-se apreciá-la pousada num ramo, meditando sobre alguma coisa.
O seu espiritozinho é ágil, e a sua diversão favorita parece, saltitar, fazendo mil caracóis, de envolta com os belos e variados gorjeios, desferidos a todo instante, por entre a ramaria em flor!
O seu canto é de uma melodia inigualável, sendo porém, pouco conhecido, talvez por serem os deliciosos prelúdios soltos aos ventos, às escondidas, sem a mais leve vaidade de exibição.
Não distante muito arisca, encontramo-la sempre nos arredores da cidade, rabilonga, elegante e extremamente faceira, fazendo-nos crer que ela, nos rápidos giros matutinos, apressada e oculta nas franças dos arvoredos, reconhece a sua aristocrática beleza, pois, quando é descoberta nos esconderijos passageiros, pelos olhares indiscretos levanta o topete majestoso, inclina a longa cauda e entoa o empolgante e harmonioso canto, e vai em célere carreira pelas umbrosas frondes. [...]". Antônio Caetano Guimarães Junior. Ensaios sobre Ornithologia. Revista do Museu Paulista, São Paulo, t. 16, p. 105-106, 1929.
 
 
Alma-de-gato (Piaya cayana)
Ihering, R. von. O livrinho das Aves. 1914.


Nenhum comentário:

Postar um comentário