segunda-feira, 12 de março de 2018

Uma viagem agradável


"[...]. Foi muito lindo entrar do estreito canal para o majestoso Tocantins, largo e cheio de ilhas. As ilhas apresentavam, igualmente todos os estágios possíveis de formação, desde a aluvião baixa que emergiu recentemente da água com arbustos esparsos e aninga (Montrichardia) até as ilhas de mato repletas de monumentais arvoredos antigos, que representam um estímulo tão representativo também para o baixo Amazonas. A viagem realmente voltou a ficar muito agradável, e novamente me tomou aquele sentimento bastante familiar de que jamais havia visto algo mais lindo. Até mais ou menos acima de Cametá, predomina a floresta de palmeiras Mauritia (isto é, uma floresta mista na qual a Mauritia sobressai grandemente e é a planta característica mais perceptível); no entanto, ela não é mais baixa, mas se eleva a uma altura majestosa, trançada por trepadeiras e cercada de um largo cordão de Montrichardia. De singular beleza era um igarapé um pouco abaixo de Cametá, no qual entramos sob uma bela iluminação noturna e permanecemos por cerca de uma hora". Emília Snethlage (1868-1929). In: SANJAD, N. et. al. Emília Snethlage (1868-1929): um inédito relato de viagem ao rio Tocantins e o obituário de Emil-Heirich Snethlage. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v.8, n. 1, p. 199, jan.- abr., 2013.



Aninga. Montrichardia linifera
Peyritsch, J. J. ; Schott, H. W. Aroideae Maximilianae.   p. 30, t. 21, 1879.
Desenho de W. Liepoldt.
 www.plantillustrations.org.

Nenhum comentário:

Postar um comentário