sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Os notáveis cipós


"[...]. Mas os cipós ainda se tornam notáveis por muitos outros aspectos. Há alguns que, como o já citado cipó-d´água e o ituá-açu, são a providência dos que se perdem na mata. Quando de qualquer deles se corta rapidamente um pedaço da haste, mais ou menos um metro, que também sem perda de tempo, deve ser logo virada para baixo, de tal modo que a sua extremidade superior passe a ser inferior, desta se escoará boa quantidade d´água, sempre límpida e fresca, apenas ligeiramente ácida. Vários se recomendam pela beleza das suas flores ou pelo delicado sabor dos seus frutos, quando não reúnem as duas coisas, como acontece com os numerosos maracujás. Outros serão aproveitados pelas qualidades estimulantes ou medicamentosas de suas sementes e, entre estes, vale por todos o guaraná. Ainda outros, pela tinta que se extrai das suas folhas, como o carajuru, ou pelos violentos tóxicos que se conseguem dos seus caules e raízes, como o dos Strychnos, que entram na composição do curare, e de certas Apocináceas, que servem para  tinguijar o peixe. [...]". Gastão Cruls (1888-1959). Hiléia amazônica. 1955. p. 15. 



Maracujá. Passiflora alata.
Kerner, J. S. Hortus sempervirens, v. 33, t. 392 (1814).
Desenho de J. S. Kerner.

Nenhum comentário:

Postar um comentário