quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Victoria régia: a gigante do reino da flora


"Rapidamente navegávamos as quatrocentas milhas que separam Maranhão do Pará, alcançando os limites orientais do Norte brasileiro, a costa oceânica dessa vasta bacia que contém uma área igual aos dois terços da Europa. Estamos prestes a penetrar numa das regiões mais assombrosas da natureza, onde tudo é construído na mais elevada escala. O rio mais poderoso do mundo nasce nas altíssimas montanhas da parte ocidental do continente sul-americano e percorre milhares de milhas através de florestas sem rival em beleza, grandeza e fecundidade. É nessa região que a "Vitória Régia", gigante do reino da Flora, recolhe-se ao seio das lagoas sombrias, ou repousa nas águas paradas, protegidas por alguma faixa de vegetação contra as águas velozes da corrente que incessantemente desce dos Andes. Milhões de aves e insetos, das mais brilhantes cores, curiosos répteis e quadrúpedes, habitam essa quase "Terra incógnita". Talvez não haja no planeta outra região que possuindo tantas maravilhas, seja tão acessível e tão pouco explorada". Daniel P. Kidder (1815-1891) & J. C. Fletcher (1823-1901). O Brasil e os brasileiros: esboço histórico e descritivo. 1941. v. 2, p. 283.
 
 
Victoria régia.
Lithograph by Ernst Heyn, 1892.


Nenhum comentário:

Postar um comentário