domingo, 16 de outubro de 2016

Um concerto discordante de perfumes e cores



[...]. Na frente do sítio, num terreno geralmente varrido, limitado no fundo pela casa e dos lados pelo rancho do forno e pelo tendal, cresciam algumas árvores frutíferas e arbustos floríferos, como laranjeiras, um pé de sapotilheira, um outro de cupuaçuzeiro, jasmineiros brancos e de Caiena, um coqueiro cujos cocos eram exclusivamente consagrados a Santo Antônio, e uma cuieira copuda, ameaçando com seus enormes frutos esféricos a segurança de uma canoa velha erguida do chão por quatro paus, cheia de terra, onde cresciam, como num canteiro suspenso, melindres, malmequeres, manjeronas, trevos, perpétuas, cravinas e outras flores vulgares, num concerto discordante de perfumes e cores. José Veríssimo (1857-1916). Cenas da vida amazônica. 2011, p. 11.

 
 
Cuieira
Curti´s Botanical Magazine, t. 3374-3457,  1835.
Desenho de Horsfall.
http plantillustrations.org.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário