segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Paisagem com vida e beleza



"As vertentes desse vale sobem rapidamente em colinas cobertas de florestas primitivas, e as grandes massas rochosas  surgem em grande número, estendendo-se mesmo para dentro da mata. Muitas árvores perdem as folhas nesse período, porém a maioria fica sempre verde, de modo que a floresta estava meio verde, meio cinzenta; [...]. As múltiplas variedades de folhas tenras que vinham brotando começavam a dar à paisagem vida e beleza novas. O tapicuru (Bignonia) estava completamente coberto de belas folhas pardo-avermelhadas, que despontavam; um róseo lindíssimo adornava as cimas da sapucaia (Lecythis); a Bougainvillea brasiliensis entrelaçava-se no topo das árvores, ainda em parte desfolhadas, forrando-as  todas com as flores róseo-escuras; numerosas espécies de bignonias, algumas subindo a grande altura, outras rastejantes, medravam luxuriantemente, enfeitadas de flores variegadas, róseas, violetas, brancas e amarelas. Nessa estação, seria impossível ao melhor paisagista  retratar a infinita multiplicidade de tintas que matizam as frondes das gigantescas árvores  dessas  florestas; e, se o conseguisse, qualquer pessoa que não tivesse admirado  esses rincões, consideraria o trabalho simples devaneio da imaginação. [...]. Maximilian, Príncipe de Wied-Neuwied (1782-1867). Viagem ao Brasil. 2 ed. 1958, p. 257.
 
 
Bougaivillea sp.
The Garden, v. 43, 1893. www.plantillustrations.org.




Nenhum comentário:

Postar um comentário