quinta-feira, 7 de maio de 2015

A Palmeira Buçu



" A palmeira buçu pareceu-me, porém, ostentar maior encanto. Um tronco muito curto, encimado por um imenso leque de folhas. É a Manicaria saccifera. Nunca vira folhas de palmeira maiores. Elevam-se quase verticalmente; têm até 30 pés de comprimento, dando a impressão de grande dureza e consistência. São sem dúvida peniformes, mas só num período mais avançado de seu desenvolvimento, de sorte que as folhas mais novas formam uma grande superfície lisa. Essas folhas inteiras dão uma ideia de vigor e pujança. Além disso são extraordinariamente duradouras e constituem por isso excelente material para cobertas. Todos os telhados das malocas no baixo Amazonas são de folhas de buçu. De uma única folha, cortada convenientemente, faz-se uma porta inteira para a oca simples do índio. Enquanto um telhado de folhas de Euterpe oleracea  ou geonomas resiste de três a quatro anos, uma boa coberta de buçu dura até 20. Servem-se também dessas grandes folhas, encostando-as do lado de fora das frágeis paredes de barro das ocas, para protege-las   contra os fortes aguaceiros. Por isso muitas malocas de tapuias parecem feitas de folhas secas de buçu e, de fato, seria fácil construir uma casinha só com essas belas folhas de palmeira, cuja orla serrilhada faz realçar ainda mais a beleza da planta". Robert Avé-Lallemant (1812-1884). Viagem pelo norte do Brasil no ano de 1859. 1961. v.2, p. 62-63. 
 
 
Buçu ou Ubuçu Manicaria saccifera.
C. Fr. von Martius. Historia Naturalis Palmarum (1823-1850).


Nenhum comentário:

Postar um comentário