sábado, 29 de julho de 2017

Uma maravilhosa bromélia


"Procuramos em vão pelo rio Cauhy. Encontramos a estreita foz do rio Nhamundá cercada por um atraente igarapé, uma complexa quantidade de ilhas com árvores atrofiadas obscurecidas pela quantidade de epífitas em seus galhos. A cor dominante era o vermelho, bromélias com folhas escarlates e inflorescências (Achmea huebneri) cresciam junto às concentrações verde-escuras de orquídeas (Schomburgkia) e antúrios com grandes folhas. A paisagem da floresta tornou-se escura gradativamente, com muitas palmeiras Jauari e árvores com troncos enfileirados como colunas góticas; sobre o rio espalhava-se Macrolobium com suas folhas semelhantes às da samambaia. Continuamos navegando pelo rio até ancorarmos próximo ao tronco de uma árvore caída na qual cresciam orquídeas, incluindo uma Catasetum - a primeira que vi na região. Colhi uma maravilhosa bromélia com uma coroa de plumas corais que encontrei em uma palmeira (Achmea huebneri). O ponto alto, no entanto, foi quando uma outra bromélia, a Aechmea polyantha, apareceu em uma grande árvore. Fiquei tão entusiasmada que desenhei até acabar a luz". Margaret Mee (1909-1988). Flores da floresta amazônica: a arte botânica de Margaret Mee. 2010. p.132.


Achmea huebneri.
Margaret Mee (1909-1988). Flores da floresta amazônica. 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário