domingo, 21 de setembro de 2014

Viajantes: Sua majestade a Onça-Pintada e os animais da floresta!

"Das raízes das árvores gigantescas surge agora um som suave e melodioso, como se alguém descuidadamente houvesse tocado as cordas de um bandolim. São as rãs musicais. Presas às árvores pela sucção de seus pés, que semelham ventosas, elas emitem sons que parece provir de centenas de pequenos anões a trabalhar numa caverna. Longe, uma rã imita o som do contrabaixo.
Agora todas as criaturas diurnas da selva já saíram de seus esconderijos. Aí vem o enorme tamanduá. Seu focinho comprido e suas enormes patas providas de fortes garras dão-lhe o aspecto de um bicho de pesadelo, desenhado por uma criança. E existe também um pássaro de chapéu-de-sol, o pavão da mata, com o aspecto de uma gralha gigantesca, que se houvesse tornado tropical e que trouxesse, no alto da cabeça, um guarda-sol todo franjado. Enquanto vocês imaginam ser este o mais estranho animal jamais visto, eis que voa um tucano, com um bico enorme, do tamanho do corpo, dando a impressão de ter enfiado o bico verdadeiro num tubo oco, comprido e colorido. Mas não percam tempo com o tucano, pois lá embaixo desfila todo um  bando de quatis, com seus narizes compridos, sempre a cheirar o chão. Atrás deles vem uma vara de porcos  do mato, os catetos de colarinho branco, que têm uma faixa alva em torno da garganta. Mas não se deixem iludir pelos seus pés delicados e por sua aparência mansa. São animais muitíssimos perigosos. É melhor subir a uma árvore, enquanto eles passam. E lá vem um - que será aquilo? Que ruído foi esse tão parecido com o da tosse, que já agora se transformou em rosnar? Que será isso? Reparem no efeito que produziu em todos os animais: os quatis parecem gelados, os porcos do mato, antes tão barulhentos, agora caminham silenciosos. A selva emudeceu. Pesa sobre ela um silêncio de morte. Sabe por que? Lá, mais além, deitada num galho forte, encontra-se uma onça. É sua Majestade a Onça Pintada, o rei da floresta amazônica." Victor W. van Hagen. Animais da América do sul. s.d., p. 44.
 
 
 
Ilustração de Édouard Riou (1833-1900)
J. Creveaux (1847-1882). Voyages dans L´Amérique du sud. 1883.


Nenhum comentário:

Postar um comentário